Aula de compactação vem da Espanha com Atlético de Madri



Diagrama tático. Atlético encaixando marcação no Chelsea. 4-1-4-1 espanhol contra 4-2-3-1 inglês.

Compactação, termo/estratégia rara de visualizar em terras tupiniquins. Pregada por treinadores dos quatro cantos de nosso país, mas na pratica, raramente aplicada. A compactação não fica limitada a defensiva, em fase ofensiva ela possui participação essencial na estratégia de jogo, pois, jogadores próximos, reduzem esforços físicos, bolas longas ou ligação direta e os famosos “buracos” entre as linhas.

Aula do professor Diego Simeone. O argentino adotou estratégia semelhante do time londrino contra o Barcelona, não somente pelo estilo de jogo, mas também pelo esquema adotado para encaixar marcação sobre seu adversário.

O Atlético jogou no 4-5-1 com duas linhas de quatro jogadores e um volante entre elas – ou 4-1-4-1. A estratégia, além do sistema, é extremamente ortodoxa, britânica: linhas agrupadas e próximas, marcação por zona com pressão sobre a bola, transição ofensiva em contra-ataques com os wingers, concessão da posse de bola ao adversário. Por ceder posse de bola ao adversário, o Atlético baixava o bloco por inteiro em seu campo, agrupava jogadores atrás da linha da bola e, com uma manobra defensiva perfeita, compactava as linhas sem deixar “vazios” entre elas.

O 4-1-4-1 apresentou um perfeito encaixe ao 4-2-3-1 londrino. Suarez, o volante central, combatia Hazard assim que o meia-central do Chelsea recebia a bola. Pelos lados, os laterais Juanfran e Felipe Luís marcavam os extremas Mata e Ramires, respectivamente, assim que estes eram acionados. No centro, os meias Koke e Gabi bloqueavam as raras passagens de Mikel e Lampard. E também pelos lados, os wingers Turan e López acompanhavam respectivamente A. Cole e Ivanovic nos apoios dos laterais. Ressalvo que o único a não participar das manobras ofensivas era o centroavante Falcão Garcia, ainda assim, o iluminado camisa “9” recuava para grupar jogadores em seu campo defensivo.

Flagrante tático. Atlético marcando em bloco baixo, compactado em relação as linhas e em faixa central no 4-1-4-1.

Submetido a um encaixe de marcação perfeito – com disciplina tática, empenho e total cumprimento das atribuições defensivas (os jogadores do Atlético em nenhum momento desorganizaram o agrupamento e a proximidade destas linhas no 4-1-4-1), o Chelsea não soube o que fazer. A teoria diz que, quando há encaixe de marcação, é preciso o drible, a movimentação, a passagem sobre o seu perseguidor. 

Diego Simeone cumpriu todas as premissas do 4-1-4-1, inspirado na cartilha e escola inglesa de posicionamentos e manobras defensivas. Os laterais espanhóis auxiliados pelos wingers, anularam o flanco inglês com marcação dupla por zona. Grosso modo, Simeone foi um pedreiro que “assimentou” a equipe de Di Matteo. O Chelsea, treinado pelo italiano, não apresentou variações, movimentação, algo que carece perante um encaixe de marcação. O Chelsea ficou acomodado perante marcação espanhola e esperou o erro do adversário, mas sem força-lo a isto, os ingleses esperavam uma desorganização espontânea.

Extremamente estreita (compactação sem a bola), fechando espaços com duas linhas bem fechadas, e saídas velozes para o contra-ataque. Este frase pode resumir a partida mágica partida do Atlético contra o Chelsea. Ao invés de se desorganizar, foi o Atlético quem desorganizou o Chelsea e fez os gols do titulo.

Hoje pela manhã, ao ler o jornal Zero Hora, algo me chamou atenção em relação à entrevista de Diego Alves, goleiro do Valencia, perguntado qual a diferença nos treinamentos no Brasil e na Espanha.

O goleiro respondeu: Se trabalha muito com os pés na Europa. É rotina os goleiros participarem de treinamentos de bola com os jogadores de linha para dar mais técnica e simular situações reais, de pressão do adversário a soluções de improviso. Outra exigência é a distancia entre as linhas, com atenção especial para os quatro defensores. A defesa joga muito próxima ao meio-campo, então o goleiro é acionado o tempo inteiro. No resto, os treinamentos técnicos são perecidos com os do Brasil, força, reflexo, posicionamento, bola parada.

A constatação do goleiro coincide com a mentalidade europeia de defender em bloco, compactado, ocupar espaços do campo de maneira inteligente e não ceder campo ao adversário. Todos se doam defensivamente, independente de posições.
Algo a ser revisto no Brasil, principalmente em categorias de base, pois o estrago no alto rendimento já esta feito.

This entry was posted in . Bookmark the permalink.

2 Responses to Aula de compactação vem da Espanha com Atlético de Madri

  1. "A constatação do goleiro coincide com a mentalidade europeia de defender em bloco, compactado, ocupar espaços do campo de maneira inteligente e não ceder campo ao adversário. Todos se doam defensivamente, independente de posições.
    Algo a ser revisto no Brasil, principalmente em categorias de base, pois o estrago no alto rendimento já esta feito."

    Pô cara, não fala isso, ta me deixando super deprimido

    E o pior é que até o nivel tecnico dos nossos jogadores estão piorando por causa de um atraso tático... Ou é coincidencia que ha 9 anos só o Kaka foi protagonista na Europa do meio pra frente (adriano nem isso foi direito), claro, no Brasil estão sempre no mano a mano, quero ver saber jogar em espaços curtos.. E em contra-partida nossos jogadores do meio pra tras nunca foram tão bem sucedidos.. até zagueiros mediocres aqui estão indo muito bem la fora tipo o Danilo

    Mas cara, eu fico muito deprimido que a nossa imprensa não ataca os problemas de compactação por falta de conhecimento mesmo do assunto futebol, o uncio que dizem é "nossa, nos não tocamos a bola como antigamente" "na base se pretere jogadores fortes á pequenos e habilidosos" enfim.. cara to deprimidérrimo como nosso futebol.. o Oscar titular absoluto da camisa 10 da seleção Brasileira não consegue nem tocar na bola no jogo de "macho pra valer" que é o europeu

  2. Mais Na Europa é Diferente Do Brasil Os Times treina muito bola parada Trocas De Passes aqui no Brasil O Futebol europeu tem otimas estratégias de marca muito forte a saida de bola pra sair nos contra-ataques e etc....

Leave a Reply

Compartilhar